Arquivo mensal: agosto 2015

Dicas para o ENEM

No Enem, não dá tempo de reler muitas questões

Quando estamos resolvendo uma questão, a primeira coisa a ser feita é ler atentamente o enunciado para entendermos o que está sendo pedido. Entretanto, como acontece quase sempre, a primeira leitura acaba servindo como um “mapeamento” do conteúdo. Tanto que acabamos relendo todo o enunciado no intuito de processar os dados de fato.

Só tem um “pequeno” problema nisso: na prova do Enem, você terá que realizar, em média, uma questão a cada 3 minutos! Na verdade, esse tempo é ainda menor, pois você precisa separar um tempo para preencher o gabarito! Em outras palavras: mal dá tempo de ler todas as questões! Inclusive, já escrevemos um artigo que mostra a importância de controlar o tempo na hora da prova.

Agora analise: se o tempo já é escasso para ler a prova uma vez, imagine ter que ler duas vezes cada enunciado. Ou seja, diferentemente de alguns “especialistas” por aí, reler as questões é uma alternativa que você deve evitar na hora da prova do exame.

Dito isso, cabe a seguinte pergunta:

Como posso fazer então para não precisar ler novamente os enunciados. Afinal, sempre que leio uma questão, tenho a impressão de não ter lido nada.

Essa sensação é normal. Para isso não ocorrer, cabe duas dicas:

1 – Treine seu cérebro para que ele, na primeira leitura, já processe a maioria das informações.

É isso mesmo! Como quase tudo na vida, treinando melhora. Na hora de estudar, comece a treinar seu cérebro para que ele já comece a primeira leitura focado. Depois de um certo tempo, perceberá que aquela leitura, que antes era superficial, começará a ter mais consistência.

2 – Para enunciados muito grandes, leia a pergunta antes.

Dica simples, mas que ajuda muito. Percebeu que o enunciado é muito extenso? Dê uma olhada na pergunta que será feita. Isso fará com que você se concentre no que terá de mais importante no enunciado.

Ok, boas dicas. Mas e se na hora da prova eu ler uma questão e precisar retomar alguns pontos?

Vale destacar que em nenhum momento estamos falando para que você NUNCA releia uma questão na hora do exame. Aliás, isso dificilmente ocorrerá, pois envolveria uma concentração quase desumana. Além disso, retornar no enunciado para coletar dados (principalmente para questões de exatas) é um procedimento normal e totalmente válido. Estamos apenas alertando que, se não estiver condicionado o suficiente e necessitar reler a maioria dos enunciados, certamente faltará tempo no dia prova.

4 Dicas Para Melhorar sua Capacidade de Memorização

Vida de vestibulando não é nada fácil. Claro que realmente existe aquela dica de que aprender é muito mais importante e eficiente do que decorar (e é verdadeira!). Entretanto, que tal refletir sobre como as coisas acontecem na no dia a dia? Para isso, temos que dizer uma verdade: o Enem e os vestibulares tradicionais cobram tanto conteúdo que é praticamente impossível os vestibulandos não utilizarem artifícios que visam também a conhecida “decoreba”.

Pensando nisso, separamos quatro dicas para otimizar esse processo:

1. Procure, na medida do possível, contextualizar o que está tentando gravar.

Por mais que seja uma tentativa de memorizar de forma totalmente mecânica uma repetição ou alguma sequência de nomes, faça pequenas leituras para contextualizar o mínimo possível o conteúdo. Essa atitude pode criar alguns atalhos para que sua memória consiga buscar mais facilmente as informações quando for preciso. Por exemplo: Estudou a taxonomia dos seres vivos? Que tal ler algum artigo sobre quando foram feitas tais divisões? Ou ainda, quem foram os responsáveis?

2. Faça suas memorizações sempre que estiver tranquilo

Nada de decorar conteúdos em momentos de estresse. Afinal, a decoreba já não é algo muito interessante. Imagine tentar realizá-la com outras preocupações na cabeça. A chance de sucesso é muito baixa.

3. Apenas repetir não funciona. Faça algumas associações e, de preferência, divertidas!

Vários estudos já revelaram que a pura repetição não ajuda muito. Associar o que está tentando fixar à alguma situação engraçada é um caminho bastante interessante. Tal habilidade requer treino, é verdade. Mas depois de “pegar o jeito”, sua capacidade de memorização aumenta significativamente. Sabe aquelas pessoas que conseguem decorar sequências enormes de cartas, por exemplo? Elas usam esse método! Inclusive, diversos professores de cursinhos utilizam muito essa técnica, inventando músicas ou piadas da matéria para seus alunos. Portanto, não se acanhe e abuse da criatividade.

4. Escreve e rabisque.

Dica simples, mas que pode ajudar um pouco. Caso esteja tentando memorizar alguma informação sem nenhum dos artifícios anteriores, ao menos coloque isso no papel! Escrever uma fórmula duas ou cinco vezes é mais eficiente que apenas lê-la dez vezes.

Antes de finalizar, queremos apenas destacar que não há garantias que tais métodos sejam os melhores para os vestibulandos. Não há dúvida alguma de que a maneira de estudar mais eficiente é primeiramente entender a teoria (prestando atenção nas aulas, fazendo deduções de fórmulas e lendo o conteúdo) e, posteriormente, realizar muitos exercícios.

Manual do Enem 2015

Confira o manual do ENEM com as principais informações e detalhes importantes sobre o maior vestibular do país.

Manual do Enem 2015